Boletim Polínico : Boletim Polínico - Nº 46, 23 a 29 de Novembro

O Boletim Polínico efectua a divulgação semanal sobre os níveis de pólenes existentes no ar atmosférico. Esta é uma informação disponibilizada pela Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), obtida através da leitura de vários postos que fazem uma recolha contínua dos pólenes, em várias regiões do País.

Para esta semana, devido há ocorrência de precipitação, prevêem-se concentrações baixas a elevadas de pólen atmosférico para as regiões de Trás-Os-Montes e Alto Douro e Centro e para restantes regiões do país prevêem-se baixas a moderadas. Para os Arquipélagos dos Açores e Madeira prevêem-se baixas concentrações de pólen.

Na atmosfera predomina particularmente o pólen de cipreste.

No Trás-Os-Montes e Alto Douro do país e região de Vila Real, os pólenes encontram-se em níveis baixos a elevados, com destaque para os pólenes de cipreste e amieiro, sendo esperadas concentrações baixas a elevadas para estes pólenes.

No Douro Litoral do país e região do Porto, os pólenes encontram-se em níveis baixos a moderados, com destaque para os pólenes de cipreste, eucalipto, erva parietária, urtigas e amieiro, sendo esperadas baixas a moderadas concentrações para os pólenes de cipreste e amieiro e baixas concentrações para os outros pólenes.

Na Beira Litoral e região de Coimbra, os pólenes encontram-se em níveis baixos a elevados, com predomínio do pólen de cipreste seguido pelo pólen de amieiro, sendo esperadas baixas a elevadas concentrações para o pólen de cipreste e baixas concentrações para o pólen de amieiro.

Na Beira Interior e região de Castelo Branco, os pólenes encontram-se em níveis baixos a elevados, com predomínio dos pólenes de cipreste, freixo e amieiro, sendo esperadas baixas a elevadas concentrações para o pólen de cipreste e baixas concentrações para os outros pólenes.

Na Estremadura e região de Lisboa, os pólenes encontram-se em níveis baixos a moderados, com destaque para os pólenes de ciprestes, urtigas, freixo, erva parietária e amieiro, sendo esperadas baixas a moderadas concentrações para o pólen de cipreste e urtigas e baixas concentrações para os outros pólenes.

No Alentejo, os pólenes encontram-se em se níveis baixos a moderados, com predomínio dos pólenes de cipreste seguido pelos pólenes de freixo, amieiro, urtigas e erva parietária, sendo esperadas baixas a moderadas concentrações para o pólen de cipreste e baixas concentrações para os outros pólenes.

No Algarve, os pólenes encontram-se em níveis baixos a moderados, com destaque para os pólenes de cipreste, freixo, amieiro erva parietária e urtigas, sendo esperadas baixas concentrações para estes pólenes.

Nos Açores e região de Ponta Delgada, os pólenes encontram-se em níveis baixos, com predomínio dos pólenes de erva parietária, criptoméria e urtiga, sendo esperadas baixas concentrações para estes pólenes.

Na Madeira e região do Funchal, os pólenes encontram-se em níveis baixos, com destaque para os pólenes de cipreste erva parietária, sendo esperadas baixas concentrações para estes pólenes.

SOBRE A SPAIC

Fundada em 1950, a SPAIC é a maior associação científica nacional que agrega especialistas médicos (Imunoalergologistas), investigadores e técnicos dedicados ao estudo da alergia, asma e imunologia clínica, organizando e patrocinando regularmente uma gama alargada de programas de formação e desenvolvimento profissional nestas áreas.

Ler mais

PESQUISAR HISTÓRICO

Pode consultar neste site o Boletim Polínico de cada semana, desde 20 Março de 2006. 

Todos os Boletins contêm dados por região, e as concentrações por tipo de pólen.

Ler mais

RECOMENDAÇÕES AO DOENTE

Consulte o Boletim Polínico, disponível todo o ano neste site, e na Primavera também em alguns meios de comunicação social, para saber as concentrações dos pólenes no ar ambiente (baixas/moderadas/elevadas).

Ler mais